Universo da Bola

com Enivaldo Eiras

 

Com a euforia das Copas das Confederações (que chamaríamos copa das manifestações) veio também até mim a preocupação com um problema antigo, não citado em todas as manifestações, com relação ao nosso país, o turismo sexual.
Engana-se quem acha que a grande maioria de turistas que vêm ao Brasil, estão interessados em nossas belezas tropicais. Na verdade, a grande maioria desses turistas estão em busca de outra “beleza tropical”, as nossas mulheres. No continente americano, os principais destinos são México, Cuba e Brasil. Em 2005, segundo dados da OMT (Organização Mundial do Trabalho) a grande maioria desses turistas sexuais que vem ao Brasil é de classe média, tem idade entre 20 e 40 anos, viaja sozinho ou junto de um amigo. Em grande parte são italianos, portugueses, holandeses e norte-americanos; seguidos pelos ingleses, alemães e latino-americanos, e para surpresa de todos, os jogadores espanhóis.
 Em Recife, os espanhóis já haviam provocado um incidente no qual culpavam os funcionários do hotel  Golden Tulip Recife Palace, onde os jogadores da Fúria se hospedavam, pelo furto de uma quantia em dinheiro. A notícia envergonhou nosso país e os recifenses. O que parece mais estranho são as circustâncias do acontecimento, que logo em seguida, fizeram com que o chefe de segurança da seleção espanhola e o gerente de relacionamento do hotel negassem o furto. Porém, a história não surgiu do nada, ela havia sido divulgada  pelo jornal espanhol El Mundo Deportivo no último dia 20 de junho. Segundo o periódico, na noite de domingo, dia 16 após a vitória sobre o Uruguai por 2 a 1, uma banda de pagode foi contratada para animar uma festa da delegação espanhola no hotel. Além de cerveja, caipirinha e música, o evento contou com a presença de mulheres. No início, a festa não fugia do normal: brincadeiras, comilança e bebedeira.
Mas quando a banda de pagode “Só Prazer” parou de tocar, por volta de 1h da madrugada, um grupo de cinco moças seguiu para a área de aposentos com cinco atletas e um membro da comissão técnica. Nos quartos, segundo dois funcionários, o grupo teria começado uma disputa de strip-poker (jogo de cartas onde quem perde uma rodada tira uma peça de roupa). O clima teria esquentado com alguns atletas e moças seguindo para aposentos individuais. Quando, na manhã seguinte, as moças foram embora, membros da delegação deram falta de aproximadamente mil euros.
Outro fato estranho que indica que, onde há fumaça há fogo, foi outro incidente acontecido em Fortaleza, no Hotel Luzeiros onde um grupo de atletas, salvando-se Piqué e Casillas, pois estavam liberados para sair, mas dormiram com suas respectivas mulheres - a cantora Shakira e a jornalista Sara Carbonero, tentou levar sete garotas para os quartos e foi impedido pelos seguranças. O Diário do Nordeste, jornal cearense, divulgou a informação em sua edição de 18 de junho e confirmou com fontes. O hotel admite que o episódio ocorreu e informa que o procedimento de não permitir a entrada de visitantes é praxe para todos os hóspedes. 
De acordo com funcionários que preferiram não se identificar, os jogadores chegaram ao hotel na madrugada de domingo para segunda-feira, por volta de quatro horas, e trouxeram as garotas em uma van. Elas passaram pelo saguão, mas foram retiradas dos elevadores e causaram irritação dos espanhóis. Ao serem proibidos de levar as garotas para os quartos os jogadores espanhóis se irritaram e chegando aos quartos jogaram pelas janelas controles de TV, água, sabonete, causando um prejuízo ao hotel e perigo a quem passasse pela rua - disse o informante.
Fico imaginando qual a repercussão que seria se isso acontecesse com brasileiros visitando a Espanha já que  há o histórico preconceito europeu com relação aos brasileiros que possuem fama de comportamento não polido ao visitarem esses países. Também parabenizo os seguranças do hotel em Fortaleza, não só por não permitir que os jogadores espanhóis levassem as garotas para os quartos, pois se tratava de um hotel e um ambiente familiar e por outra razão bem simples - os mesmos, já tendo conhecimento da repercussão do que aconteceu em Recife, sabiam que poderiam levar a culpa por algum incidente semelhante. 
Finalmente, fico satisfeito, pois diante de tantos problemas em nosso país, cantados e decantados nessas manifestações, podemos perceber que a moralização pôde sair do micro para o macro. 
E fica bem claro que esses incidentes poucos divulgados pela mídia, nada tem a ver com a humilhante derrota sofrida da Seleção Espanhola para a nossa na final da Copa das Confederações.
Queria agradecer muito a colaboração do meu grande amigo Carlos Sérgio, de Fortaleza - CE, com informações verídicas e também oculares da situação. Abraços Serginho !!!
EM TEMPO:  Fim da Copa das Confederações, fim das manifestações pelo Brasil ( infelizmente ) , e tudo vai voltando ao normal, por enquanto. E nossos olhos se voltam para o Brasileirão e a Copa do Brasil que tem tudo para serem brilhantes. Fora o Atlético Mineiro que vai começar a disputar as finais da Libertadores, e o Galo tem tudo para ganhar, pois está com a mesma competência e principalmente a “sorte” que acompanhou o Corinthians na edição passada. Basta apenas os dirigentes de clubes e confederações não atrapalharem mais, e deixarem o talento dentro de campo dominar os noticiários esportivos. Mas vai ser difícil viu, pois o que estou vendo nas diretorias dos grandes clubes, principalmente nos grandes de São Paulo, a coisa tá feia. Lamentavelmente podem por tudo a perder, pois só estão vendo os interesses pessoais, assim como acontece em Brasília com nossos políticos, deixando de lado o que verdadeiramente importa que são os clubes e seus  torcedores, como também acontece com todo cidadão brasileiro. Lamentável...
 PRA MEDITAR:   “ Como é feliz a nação que tem o Senhor com Deus, o povo que ele escolheu para lhe pertencer!” Salmos 33 : 12

Com a euforia das Copas das Confederações (que chamaríamos copa das manifestações) veio também até mim a preocupação com um problema antigo, não citado em todas as manifestações, com relação ao nosso país, o turismo sexual.Engana-se quem acha que a grande maioria de turistas que vêm ao Brasil, estão interessados em nossas belezas tropicais. Na verdade, a grande maioria desses turistas estão em busca de outra “beleza tropical”, as nossas mulheres. No continente americano, os principais destinos são México, Cuba e Brasil. Em 2005, segundo dados da OMT (Organização Mundial do Trabalho) a grande maioria desses turistas sexuais que vem ao Brasil é de classe média, tem idade entre 20 e 40 anos, viaja sozinho ou junto de um amigo. Em grande parte são italianos, portugueses, holandeses e norte-americanos; seguidos pelos ingleses, alemães e latino-americanos, e para surpresa de todos, os jogadores espanhóis. Em Recife, os espanhóis já haviam provocado um incidente no qual culpavam os funcionários do hotel  Golden Tulip Recife Palace, onde os jogadores da Fúria se hospedavam, pelo furto de uma quantia em dinheiro. A notícia envergonhou nosso país e os recifenses. O que parece mais estranho são as circustâncias do acontecimento, que logo em seguida, fizeram com que o chefe de segurança da seleção espanhola e o gerente de relacionamento do hotel negassem o furto. Porém, a história não surgiu do nada, ela havia sido divulgada  pelo jornal espanhol El Mundo Deportivo no último dia 20 de junho. Segundo o periódico, na noite de domingo, dia 16 após a vitória sobre o Uruguai por 2 a 1, uma banda de pagode foi contratada para animar uma festa da delegação espanhola no hotel. Além de cerveja, caipirinha e música, o evento contou com a presença de mulheres. No início, a festa não fugia do normal: brincadeiras, comilança e bebedeira.Mas quando a banda de pagode “Só Prazer” parou de tocar, por volta de 1h da madrugada, um grupo de cinco moças seguiu para a área de aposentos com cinco atletas e um membro da comissão técnica. Nos quartos, segundo dois funcionários, o grupo teria começado uma disputa de strip-poker (jogo de cartas onde quem perde uma rodada tira uma peça de roupa). O clima teria esquentado com alguns atletas e moças seguindo para aposentos individuais. Quando, na manhã seguinte, as moças foram embora, membros da delegação deram falta de aproximadamente mil euros.Outro fato estranho que indica que, onde há fumaça há fogo, foi outro incidente acontecido em Fortaleza, no Hotel Luzeiros onde um grupo de atletas, salvando-se Piqué e Casillas, pois estavam liberados para sair, mas dormiram com suas respectivas mulheres - a cantora Shakira e a jornalista Sara Carbonero, tentou levar sete garotas para os quartos e foi impedido pelos seguranças. O Diário do Nordeste, jornal cearense, divulgou a informação em sua edição de 18 de junho e confirmou com fontes. O hotel admite que o episódio ocorreu e informa que o procedimento de não permitir a entrada de visitantes é praxe para todos os hóspedes. De acordo com funcionários que preferiram não se identificar, os jogadores chegaram ao hotel na madrugada de domingo para segunda-feira, por volta de quatro horas, e trouxeram as garotas em uma van. Elas passaram pelo saguão, mas foram retiradas dos elevadores e causaram irritação dos espanhóis. Ao serem proibidos de levar as garotas para os quartos os jogadores espanhóis se irritaram e chegando aos quartos jogaram pelas janelas controles de TV, água, sabonete, causando um prejuízo ao hotel e perigo a quem passasse pela rua - disse o informante.Fico imaginando qual a repercussão que seria se isso acontecesse com brasileiros visitando a Espanha já que  há o histórico preconceito europeu com relação aos brasileiros que possuem fama de comportamento não polido ao visitarem esses países. Também parabenizo os seguranças do hotel em Fortaleza, não só por não permitir que os jogadores espanhóis levassem as garotas para os quartos, pois se tratava de um hotel e um ambiente familiar e por outra razão bem simples - os mesmos, já tendo conhecimento da repercussão do que aconteceu em Recife, sabiam que poderiam levar a culpa por algum incidente semelhante. Finalmente, fico satisfeito, pois diante de tantos problemas em nosso país, cantados e decantados nessas manifestações, podemos perceber que a moralização pôde sair do micro para o macro. E fica bem claro que esses incidentes poucos divulgados pela mídia, nada tem a ver com a humilhante derrota sofrida da Seleção Espanhola para a nossa na final da Copa das Confederações.Queria agradecer muito a colaboração do meu grande amigo Carlos Sérgio, de Fortaleza - CE, com informações verídicas e também oculares da situação. Abraços Serginho !!!
EM TEMPO:  Fim da Copa das Confederações, fim das manifestações pelo Brasil ( infelizmente ) , e tudo vai voltando ao normal, por enquanto. E nossos olhos se voltam para o Brasileirão e a Copa do Brasil que tem tudo para serem brilhantes. Fora o Atlético Mineiro que vai começar a disputar as finais da Libertadores, e o Galo tem tudo para ganhar, pois está com a mesma competência e principalmente a “sorte” que acompanhou o Corinthians na edição passada. Basta apenas os dirigentes de clubes e confederações não atrapalharem mais, e deixarem o talento dentro de campo dominar os noticiários esportivos. Mas vai ser difícil viu, pois o que estou vendo nas diretorias dos grandes clubes, principalmente nos grandes de São Paulo, a coisa tá feia. Lamentavelmente podem por tudo a perder, pois só estão vendo os interesses pessoais, assim como acontece em Brasília com nossos políticos, deixando de lado o que verdadeiramente importa que são os clubes e seus  torcedores, como também acontece com todo cidadão brasileiro. Lamentável... PRA MEDITAR:   “ Como é feliz a nação que tem o Senhor com Deus, o povo que ele escolheu para lhe pertencer!” Salmos 33 : 12




Nova Enfoque
© 2017 - Todos os direitos reservados | Nova Enfoque
VISION