Cuidados com o Corpo

Acnes e Conjuntivite

 

A acne é uma doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. Devido a isso, as lesões começam a surgir na puberdade, época em que estes hormônios começam a ser produzidos pelo organismo, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos.
A doença não atinge apenas adolescentes, podendo persistir na idade adulta e, até mesmo, surgir nesta fase, sendo mais frequente em mulheres.
As manifestações da doença (cravos e espinhas) ocorre devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
Manifestações clínicas:
A doença manifesta-se principalmente na face e no tronco, áreas do corpo ricas em glândulas sebáceas. Os sintomas variam de pessoa para pessoa, sendo, na maioria das vezes de pequena e média intensidade. 
Em alguns casos, o quadro pode tornar-se muito intenso, como a acne conglobata (lesões císticas grandes, inflamatórias, que se intercomunicam por sob a pele) e a acne queloideana (deixa cicatrizes queloideanas após o desaparecimento da inflamação).
O quadro clínico pode ser dividido em quatro estágios: 
Acne Grau I: apenas cravos, sem lesões inflamatórias (espinhas).Grau II: cravos e “espinhas” pequenas, como pequenas lesões inflamadas e pontos amarelos de pus (pústulas). Grau III: cravos, “espinhas” pequenas e lesões maiores, mais profundas, dolorosas, avermelhadas e bem inflamadas (cistos). Grau IV: cravos, “espinhas” pequenas e grandes lesões císticas, comunicantes (acne conglobata), com muita inflamação e aspecto desfigurante.
Tratamento: 
Sendo doença de duração prolongada e algumas vezes desfigurante, a acne deve ser tratada desde o começo, de modo a evitar as suas seqüelas, que podem ser cicatrizes na pele ou distúrbios emocionais, devido à importante alteração na auto-estima de jovens acometidos pela acne. O tratamento da acne deve ser orientado por um médico, que é o profissional capacitado para indicar os medicamentos ideais para cada caso. Não use remédios indicados por pessoas leigas ou que tenham um quadro semelhante ao seu. Eles podem não ser apropriados ao seu tipo de pele. A duração do tratamento é longa, geralmente nunca é menor do que seis meses, portanto, paciência. Hoje, existem várias técnicas de tratamento que controlam a doença , até mesmo, podem acabar definitivamente.

ACNE: Causas e Tratamentos

A acne é uma doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. Devido a isso, as lesões começam a surgir na puberdade, época em que estes hormônios começam a ser produzidos pelo organismo, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos.A doença não atinge apenas adolescentes, podendo persistir na idade adulta e, até mesmo, surgir nesta fase, sendo mais frequente em mulheres.As manifestações da doença (cravos e espinhas) ocorre devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.Manifestações clínicas:A doença manifesta-se principalmente na face e no tronco, áreas do corpo ricas em glândulas sebáceas. Os sintomas variam de pessoa para pessoa, sendo, na maioria das vezes de pequena e média intensidade. Em alguns casos, o quadro pode tornar-se muito intenso, como a acne conglobata (lesões císticas grandes, inflamatórias, que se intercomunicam por sob a pele) e a acne queloideana (deixa cicatrizes queloideanas após o desaparecimento da inflamação).O quadro clínico pode ser dividido em quatro estágios: Acne Grau I: apenas cravos, sem lesões inflamatórias (espinhas).Grau II: cravos e “espinhas” pequenas, como pequenas lesões inflamadas e pontos amarelos de pus (pústulas). Grau III: cravos, “espinhas” pequenas e lesões maiores, mais profundas, dolorosas, avermelhadas e bem inflamadas (cistos). Grau IV: cravos, “espinhas” pequenas e grandes lesões císticas, comunicantes (acne conglobata), com muita inflamação e aspecto desfigurante.Tratamento: Sendo doença de duração prolongada e algumas vezes desfigurante, a acne deve ser tratada desde o começo, de modo a evitar as suas seqüelas, que podem ser cicatrizes na pele ou distúrbios emocionais, devido à importante alteração na auto-estima de jovens acometidos pela acne. O tratamento da acne deve ser orientado por um médico, que é o profissional capacitado para indicar os medicamentos ideais para cada caso. Não use remédios indicados por pessoas leigas ou que tenham um quadro semelhante ao seu. Eles podem não ser apropriados ao seu tipo de pele. A duração do tratamento é longa, geralmente nunca é menor do que seis meses, portanto, paciência. Hoje, existem várias técnicas de tratamento que controlam a doença , até mesmo, podem acabar definitivamente.

 

Fonte: esteticaportoalegre.com.br


CONJUNTIVITE


A conjuntivite é uma inflamação de uma membrana transparente que envolve o globo ocular, denominada CONJUNTIVA. Suas principais  causas são infecciosa (vírus ou bactéria) e alérgica. Segundo o oftalmologista Dr. Alexandre Moretti, as causadas pelos vírus e pelas bactérias são contagiosas, podendo ser transmitidas pelo contato das mãos com os olhos, por exemplo.

Geralmente, são tratadas e não costumam deixar sequelas. O oftalmologista adverte para as complicações que podem ocorrer com a auto-medicação, pois podem causar danos irreversíveis à visão.

 

Como método de prevenção, devemos separar toalhas, lavar as mãos e evitar aglomerações. Os principais sintomas são: vermelhidão, secreção, sensação de cisco ou areia, coceira e inchaço nas pálpebras. Nestes casos, procurar um oftalmologista é a maneira mais segura de tratar esta doença.

Fonte: Dr. Alexandre E. Moretti




Nova Enfoque
© 2017 - Todos os direitos reservados | Nova Enfoque
VISION