Babesiose ou Piroplasmose dos equinos

Por Dr Everton Pereira

A Babesiose equina de uma forma sucinta, também conhecida como piroplasmose ou nutaliose equina, uma doença produzida por protozoários (Babesia equi e Babesia caballi), transmitida por carrapatos e que afeta equinos, muares e zebras. Os animais infectados se tornam geralmente portadores crônicos e fontes de infecção por longos períodos. No Brasil tem-se notado animais contaminados em varias regiões e infelizmente devido à doença, os animais positivos são banidos para exportação ou mesmo para competições em alguns países. Os sinais clínicos podem variar de agudo, subagudo e crônico, iniciando com: falta de apetite, fraqueza, perda de peso, mucosas pálidas e progredindo para edemas, abortos e até mesmo a mortes. Neste caso a ajuda do Médico Veterinário para fechar o diagnóstico seria o mais indicado, pois há sintomas iguais a Babesiose que podem ser parecidos e que somente com exames complementares para ter um diagnostico definitivo.

Portanto, eliminar e controlar o vetor carrapato são meios para controlar a dissipação da doença. Banhos carrapaticidas estratégicos associados à rotação de pastagens e separação da criação de bovinos da de equina são muitos importantes e eficazes na criação de equideocultura.        




Nova Enfoque
© 2017 - Todos os direitos reservados | Nova Enfoque
VISION