Por Enivaldo Eiras

OURO OLÍMPICO, TROCA DE GOVERNO, E AGORA???

 

Acompanhamos com enorme honra o nosso primeiro ouro olímpico da Seleção. Acompanhamos também com muita tensão o impeachment de Dilma e a posse de Temer. A pergunta agora é: teremos sequência e a classificação para a Copa da Rússia com Tite? Teremos um governo que olhe para o esporte, e principalmente para o futebol, sem apenas interesses com Temer?
  A Seleção sempre teve perdida, iludida como se ainda fosse à melhor do mundo. A dependência de Neymar sempre pautaram os trabalhos de Scolari e Dunga. O grande desafio de Tite será convencer Neymar que o conjunto é sempre mais importante do que a individualidade. Que seu grande talento não tente resolver o jogo sozinho como um craque deslumbrado.
  Tite aprendeu muito no seu ano sabatico com os melhores da Europa. Com este conhecimento conseguiu fazer do Corinthians campeão mundial com o conjunto e não com individualidades. É necessário encarar a realidade das eliminatórias. Estou escrevendo antes da estréia de Tite contra o Equador, não sei ainda o resultado, mas tenho certeza que o Brasil vai jogar por “resultados” com Tite, e não para encantar o mundo como Telê. 
  Com relação a troca de governo, enquanto não houver uma política esportiva verdadeira e sem interesses, tudo ficará como está. Desde que o regime militar caiu, as eleições presidenciais são disputadas a cada quatro anos, e não por coincidência, nos anos de Copa do Mundo. O futebol, a paixão nacional, sempre foi usado pra iludir e distrair a população.
  Políticos usam o futebol sem trazer nenhum benefício. Ministros dos esportes são escolhidos para agradar partidos, CBF e as Federações, deixando-as cada vez mais ricas e poderosas, e nossos clubes a beira da falência. E a consequência disto são os seguidos vexames da Seleção .
EM TEMPO: E a debandada dos campeões mundiais pelo Timão continua. Com a saída de Elias, já são vinte que deixaram o clube. Elias esta desgastado e decepcionado com os últimos acontecimentos, por isso pediu pra ir embora. A saída de Tite foi determinante para isto. Com Tite e os bons resultados dentro de campo, a diretoria conseguia encobrir certas coisas que agora estão ficando expostas. A nação corinthiana agora esta percebendo tudo o que os bons resultados e Tite conseguiam ocultar. E a situação poderá ficar ainda mais caótica se, assim como na nossa Nação, não forem tomadas medidas impopulares para estancar esta “sangria”. Pelos lados do Morumbi a situação esta quase que a mesma coisa. A tendência é piorar se Leco e Cia continuarem a destruir o passado de glórias do clube. Coitado do Ricardo Gomes, até o ator Henry Castelli entrou em rota de colisão com a diretoria. No Santos o problema sempre foi às fracas rendas e a falta de exposição na TV por baixa audiência. A esperança está na nova Arena prometida, e com mais conforto e visibilidade tentar atrair mais público e audiência, fazendo assim as pazes com a Globo. E o Verdão vive os últimos meses de “casamento” com o fenômeno Gabriel Jesus, se deliciando a cada jogo. Mas assim como Neymar, será o melhor do mundo no velho mundo. E é assim que é, na fé, inté! PRA MEDITAR: “Quando estamos movidos por forte emoção, ou debaixo de grande tensão... nunca devemos tomar nenhuma decisão!” 
ABRAÇOS, ENIVALDO EIRAS!

Acompanhamos com enorme honra o nosso primeiro ouro olímpico da Seleção. Acompanhamos também com muita tensão o impeachment de Dilma e a posse de Temer. A pergunta agora é: teremos sequência e a classificação para a Copa da Rússia com Tite? Teremos um governo que olhe para o esporte, e principalmente para o futebol, sem apenas interesses com Temer?  A Seleção sempre teve perdida, iludida como se ainda fosse à melhor do mundo. A dependência de Neymar sempre pautaram os trabalhos de Scolari e Dunga. O grande desafio de Tite será convencer Neymar que o conjunto é sempre mais importante do que a individualidade. Que seu grande talento não tente resolver o jogo sozinho como um craque deslumbrado.  Tite aprendeu muito no seu ano sabatico com os melhores da Europa. Com este conhecimento conseguiu fazer do Corinthians campeão mundial com o conjunto e não com individualidades. É necessário encarar a realidade das eliminatórias. Estou escrevendo antes da estréia de Tite contra o Equador, não sei ainda o resultado, mas tenho certeza que o Brasil vai jogar por “resultados” com Tite, e não para encantar o mundo como Telê.   Com relação a troca de governo, enquanto não houver uma política esportiva verdadeira e sem interesses, tudo ficará como está. Desde que o regime militar caiu, as eleições presidenciais são disputadas a cada quatro anos, e não por coincidência, nos anos de Copa do Mundo. O futebol, a paixão nacional, sempre foi usado pra iludir e distrair a população.  Políticos usam o futebol sem trazer nenhum benefício. Ministros dos esportes são escolhidos para agradar partidos, CBF e as Federações, deixando-as cada vez mais ricas e poderosas, e nossos clubes a beira da falência. E a consequência disto são os seguidos vexames da Seleção .EM TEMPO: E a debandada dos campeões mundiais pelo Timão continua. Com a saída de Elias, já são vinte que deixaram o clube. Elias esta desgastado e decepcionado com os últimos acontecimentos, por isso pediu pra ir embora. A saída de Tite foi determinante para isto. Com Tite e os bons resultados dentro de campo, a diretoria conseguia encobrir certas coisas que agora estão ficando expostas. A nação corinthiana agora esta percebendo tudo o que os bons resultados e Tite conseguiam ocultar. E a situação poderá ficar ainda mais caótica se, assim como na nossa Nação, não forem tomadas medidas impopulares para estancar esta “sangria”. Pelos lados do Morumbi a situação esta quase que a mesma coisa. A tendência é piorar se Leco e Cia continuarem a destruir o passado de glórias do clube. Coitado do Ricardo Gomes, até o ator Henry Castelli entrou em rota de colisão com a diretoria. No Santos o problema sempre foi às fracas rendas e a falta de exposição na TV por baixa audiência. A esperança está na nova Arena prometida, e com mais conforto e visibilidade tentar atrair mais público e audiência, fazendo assim as pazes com a Globo. E o Verdão vive os últimos meses de “casamento” com o fenômeno Gabriel Jesus, se deliciando a cada jogo. Mas assim como Neymar, será o melhor do mundo no velho mundo. E é assim que é, na fé, inté! PRA MEDITAR: “Quando estamos movidos por forte emoção, ou debaixo de grande tensão... nunca devemos tomar nenhuma decisão!” ABRAÇOS, ENIVALDO EIRAS!




Nova Enfoque
© 2017 - Todos os direitos reservados | Nova Enfoque
VISION