PARCERIAS PERIGOSAS!

Mundo da bola - Enivaldo Eiras

 

E a invencibilidade de Tite a frente da Seleção acabou de acabar. Ainda bem quer foi em um amistoso, mas qual brasileiro que considera amistoso qualquer jogo contra a Argentina? Mais nem em jogo de peteca. Mas aconteceu, a Seleção de Tite não esta mais invicta, mas considerando a falta de seis titulares, entre eles Neymar que está de férias nos Estados Unidos muito bem acompanhado.
Também neste jogo teve o “rompimento” da relação em Globo e CBF. O amistoso pode ser visto pela internet e em outras emissoras, acabou o monopólio. Mas a CBF não se indispôs só com a Globo. Desde que estouraram os escândalos da dinastia Teixeira-Marin-Del Nero, a CBF vem perdendo patrocinadores de peso: Gillette, Sadia, Michelin, Unimed, Samsung e, por último, a Chevrolet, que retirou seu nome do Brasileirão deste ano. Em busca de alguns milhões a mais para custear as mordomias do poder, sua estrutura faraônica, as mesadas das federações e as competições que promove, a entidade acaba de assinar, contrato com um site de apostas que já tem contrato com a Conmebol e passa a ser agora um dos patrocinadores oficiais da Copa do Brasil. Não há nada de ilegal, até que se prove o contrário, num acerto como esse. Mas trata-se de um daqueles casos clássicos em que não basta ser correto, é preciso provar que se é. E a combinação esportes x apostas não é algo que tem trazido boas notícias nos últimos tempos. Escândalos pipocam pelo mundo e, por mais que se separe o joio do trigo, apostas, manipulação e falcatruas andam lado a lado na percepção popular. Definitivamente, portanto, essa não é das parcerias mais recomendáveis para quem é responsável por manter a credibilidade do futebol nacional ou sul-americano. 
  Outro assunto que causou assombro nas últimas semanas foi o ainda promessa Vinícius Junior do Mengão. O menino de apenas 16 anos que o Real Madri levou por R$ 165 milhões, certamente não será o único alvo dos clubes europeus na janela de meio de ano. Com o fim das principais ligas do velho continente, chegou a hora do vaivém internacional. E o cenário é ainda menos otimista para o torcedor do que no ano passado, quando os 20 clubes da Série A, em pleno Brasileirão, negociaram mais de 30 jogadores para exterior. Isso desmotiva, compromete o trabalho dos treinadores e a qualidade do campeonato. Dificulta o planejamento dos clubes, já que poucos são os que começam e terminam a disputa com o mesmo time. É um dos efeitos danosos do calendário que a CBF impõe por aqui, destoante do que existe em todo o resto do mundo civilizado do futebol. A saída de alguns jogadores e promessas, já é dada como certa. Pobre e roubado futebol brasileiro.
EM TEMPO:  E até que enfim Jorge Sampaoli fez sua estréia como novo técnico da Argentina. Ele assinou um dos mais longos contratos de um treinador no futebol Sul-Americano, por cinco anos, até o final da Copa de 2022, no Qatar. A confiança no País é grande. Na apresentação, mandou um recado para Messi: ‘Nós queremos que o melhor jogador do mundo se sinta feliz com a camisa da Argentina’.  E prometeu devolver aos Hermanos o papel de destaque nas competições internacionais. A seleção argentina por enquanto é a sexta colocada na atual Eliminatória. Mas com Sampaoli, muita coisa vai mudar.PRA MEDITAR: “
Satanás não tem poder pra saber o que estamos pensando... mas pode ouvir tudo que estamos falando... sendo assim, é bom evitar sair por aí praguejando..!!” Abraços 
ENIVALDO EIRAS!

E a invencibilidade de Tite a frente da Seleção acabou de acabar. Ainda bem quer foi em um amistoso, mas qual brasileiro que considera amistoso qualquer jogo contra a Argentina? Mais nem em jogo de peteca. Mas aconteceu, a Seleção de Tite não esta mais invicta, mas considerando a falta de seis titulares, entre eles Neymar que está de férias nos Estados Unidos muito bem acompanhado.Também neste jogo teve o “rompimento” da relação em Globo e CBF. O amistoso pode ser visto pela internet e em outras emissoras, acabou o monopólio. Mas a CBF não se indispôs só com a Globo. Desde que estouraram os escândalos da dinastia Teixeira-Marin-Del Nero, a CBF vem perdendo patrocinadores de peso: Gillette, Sadia, Michelin, Unimed, Samsung e, por último, a Chevrolet, que retirou seu nome do Brasileirão deste ano. Em busca de alguns milhões a mais para custear as mordomias do poder, sua estrutura faraônica, as mesadas das federações e as competições que promove, a entidade acaba de assinar, contrato com um site de apostas que já tem contrato com a Conmebol e passa a ser agora um dos patrocinadores oficiais da Copa do Brasil. Não há nada de ilegal, até que se prove o contrário, num acerto como esse. Mas trata-se de um daqueles casos clássicos em que não basta ser correto, é preciso provar que se é. E a combinação esportes x apostas não é algo que tem trazido boas notícias nos últimos tempos. Escândalos pipocam pelo mundo e, por mais que se separe o joio do trigo, apostas, manipulação e falcatruas andam lado a lado na percepção popular. Definitivamente, portanto, essa não é das parcerias mais recomendáveis para quem é responsável por manter a credibilidade do futebol nacional ou sul-americano.   Outro assunto que causou assombro nas últimas semanas foi o ainda promessa Vinícius Junior do Mengão. O menino de apenas 16 anos que o Real Madri levou por R$ 165 milhões, certamente não será o único alvo dos clubes europeus na janela de meio de ano. Com o fim das principais ligas do velho continente, chegou a hora do vaivém internacional. E o cenário é ainda menos otimista para o torcedor do que no ano passado, quando os 20 clubes da Série A, em pleno Brasileirão, negociaram mais de 30 jogadores para exterior. Isso desmotiva, compromete o trabalho dos treinadores e a qualidade do campeonato. Dificulta o planejamento dos clubes, já que poucos são os que começam e terminam a disputa com o mesmo time. É um dos efeitos danosos do calendário que a CBF impõe por aqui, destoante do que existe em todo o resto do mundo civilizado do futebol. A saída de alguns jogadores e promessas, já é dada como certa. Pobre e roubado futebol brasileiro.
EM TEMPO:  E até que enfim Jorge Sampaoli fez sua estréia como novo técnico da Argentina. Ele assinou um dos mais longos contratos de um treinador no futebol Sul-Americano, por cinco anos, até o final da Copa de 2022, no Qatar. A confiança no País é grande. Na apresentação, mandou um recado para Messi: ‘Nós queremos que o melhor jogador do mundo se sinta feliz com a camisa da Argentina’.  E prometeu devolver aos Hermanos o papel de destaque nas competições internacionais. A seleção argentina por enquanto é a sexta colocada na atual Eliminatória. Mas com Sampaoli, muita coisa vai mudar.PRA MEDITAR: “Satanás não tem poder pra saber o que estamos pensando... mas pode ouvir tudo que estamos falando... sendo assim, é bom evitar sair por aí praguejando..!!” Abraços ENIVALDO EIRAS!




Nova Enfoque
© 2017 - Todos os direitos reservados | Nova Enfoque
VISION