CLUBE EMPRESA?

Com Enivaldo Eiras

 

O Brasil está mudando, e também o futebol, parece que terá mudanças significativas em breve. Tudo porque o botafoguense Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, quer muito ver o futebol brasileiro na era moderna. Aliás, como tem que ser mesmo. Lembrando que nem Pelé e nem Zico conseguiram através dos tempos mudanças grandiosas por aqui.
Em recente encontro na CPF, Maia defendeu a idéia de obrigar os clubes a se tornarem empresas, que por diversas vezes foi ventilada no Brasil, porém sem nenhum sucesso. O presidente da Câmara quer abrir os clubes ao capital estrangeiro, defendendo que seria a única maneira de salva-los da falência, tornando mais competitivos e com capacidade e estrutura para manter por aqui os principais jogadores.
Rodrigo Maia declarou que já conversou com o excelente Ministro da Economia, o Sr. Paulo Guedes, devendo apresentar até o final do ano um projeto de lei para introduzir de vez nosso futebol na modernidade. Rodrigo Maia já esta amadurecendo este pensamento desde seu primeiro mandato como deputado, e vislumbra a real possibilidade agora com o poder que tem nas mãos de ser o presidente da Câmara, que, aliás, o cargo parece ter muito mais poder que a cadeira de Presidente da Republica.
Botafoguense fanático que é Maia está há muito tempo vendo seu clube com o sério risco de desaparecer do cenário futebolístico. E não é apenas o glorioso Fogão do Dr. João e do Sr. Aparecido Ferrer que está as mínguas não. Tirando o Mengão e o Verdão, os outros clubes grandes estão com o pires na mão há muito tempo. Mas mesmo este dois não tem garantia nenhuma que irão sobreviver assim por muito tempo. 
O Timão, apesar do peso de ibope da camisa e poderosa influência comercial no maior centro do País, vive um impasse muito grande devido às investigações da Lava Jato e a impagável dívida do estádio. E neste processo de transformação em empresa enfrentaria talvez maior dificuldade que os demais.
Mas dificuldade e resistência maior enfrentará, apesar do poder, o Rodrigo Maia. Talvez está forte resistência nem venha tanto dos torcedores ou da imprensa, mas da mega estrutura dos representantes da bancada da bola lá no Congresso Nacional, que já “fulminaram” diversas CPIs que poderiam mudar o destino pra melhor do nosso quase falido futebol há muito tempo atrás.
Resta pra nós a esperança da capacidade tributária e econômica do Sr. Paulo Guedes para que realmente este atual regime de clube associativo seja vantajoso a ponto de alegrar o coração dos gênios Pelé e Zico, que tiveram leis com seus nomes que foram abafadas da pior maneira possível. Vamos ter esperança, no futebol e principalmente no nosso Brasil...
PRA MEDITAR: “Como é bom ver o amanhecer, a chuva, contemplar o horizonte, olhar pras estrelas, sentir as fases da lua com emoções... O Senhor sempre se agrada daqueles que admiram as suas criações..!!”    
Abraços ENIVALDO EIRAS! 

O Brasil está mudando, e também o futebol, parece que terá mudanças significativas em breve. Tudo porque o botafoguense Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, quer muito ver o futebol brasileiro na era moderna. Aliás, como tem que ser mesmo. Lembrando que nem Pelé e nem Zico conseguiram através dos tempos mudanças grandiosas por aqui.Em recente encontro na CPF, Maia defendeu a idéia de obrigar os clubes a se tornarem empresas, que por diversas vezes foi ventilada no Brasil, porém sem nenhum sucesso. O presidente da Câmara quer abrir os clubes ao capital estrangeiro, defendendo que seria a única maneira de salva-los da falência, tornando mais competitivos e com capacidade e estrutura para manter por aqui os principais jogadores.Rodrigo Maia declarou que já conversou com o excelente Ministro da Economia, o Sr. Paulo Guedes, devendo apresentar até o final do ano um projeto de lei para introduzir de vez nosso futebol na modernidade. Rodrigo Maia já esta amadurecendo este pensamento desde seu primeiro mandato como deputado, e vislumbra a real possibilidade agora com o poder que tem nas mãos de ser o presidente da Câmara, que, aliás, o cargo parece ter muito mais poder que a cadeira de Presidente da Republica.Botafoguense fanático que é Maia está há muito tempo vendo seu clube com o sério risco de desaparecer do cenário futebolístico. E não é apenas o glorioso Fogão do Dr. João e do Sr. Aparecido Ferrer que está as mínguas não. Tirando o Mengão e o Verdão, os outros clubes grandes estão com o pires na mão há muito tempo. Mas mesmo este dois não tem garantia nenhuma que irão sobreviver assim por muito tempo. O Timão, apesar do peso de ibope da camisa e poderosa influência comercial no maior centro do País, vive um impasse muito grande devido às investigações da Lava Jato e a impagável dívida do estádio. E neste processo de transformação em empresa enfrentaria talvez maior dificuldade que os demais.Mas dificuldade e resistência maior enfrentará, apesar do poder, o Rodrigo Maia. Talvez está forte resistência nem venha tanto dos torcedores ou da imprensa, mas da mega estrutura dos representantes da bancada da bola lá no Congresso Nacional, que já “fulminaram” diversas CPIs que poderiam mudar o destino pra melhor do nosso quase falido futebol há muito tempo atrás.Resta pra nós a esperança da capacidade tributária e econômica do Sr. Paulo Guedes para que realmente este atual regime de clube associativo seja vantajoso a ponto de alegrar o coração dos gênios Pelé e Zico, que tiveram leis com seus nomes que foram abafadas da pior maneira possível. Vamos ter esperança, no futebol e principalmente no nosso Brasil...PRA MEDITAR: “Como é bom ver o amanhecer, a chuva, contemplar o horizonte, olhar pras estrelas, sentir as fases da lua com emoções... O Senhor sempre se agrada daqueles que admiram as suas criações..!!”    Abraços ENIVALDO EIRAS! 






Nova Enfoque
© 2019 - Todos os direitos reservados | Nova Enfoque
VISION