Existem hortaliças que são originárias de clima quente (clima tropical), outras espécies são originárias de clima frio (regiões temperadas). Isso levou essas plantas a terem adaptações climáticas diferenciadas. Como resultado disso, encontra-se, em diferentes épocas do ano, facilidade maior ou menor para a produção dessas espécies de hortaliças, de acordo com a sua origem. No entanto, existem algumas hortaliças que são produzidas satisfatoriamente durante o ano todo.

Local para a instalação da horta

– Local ensolarado: as hortaliças são plantas de crescimento rápido, por isso mesmo necessitam de muita luz para crescerem sadias. De modo geral, 8 a 10 horas de luz é o ideal;
– Local próximo à água: água de qualidade e em quantidade suficiente é muito importante para a horta, pois, para o crescimento rápido, as hortaliças necessitam de muita água. A qualidade é essencial (potável, sem contaminação) dado ao fato de várias hortaliças serem consumidas cruas;
– Local bem drenado: terrenos encharcados não possibilitam que as raízes das hortaliças respirem, pois a quantidade de ar disponível é insuficiente, o que pode atrasar o crescimento das plantas ou mesmo favorecer o aparecimento de doenças nas raízes;
– Local protegido de ventos: o vento aumenta o consumo de água pelas plantas e pode vir a estragar folhas e frutos. Mesmo as plantas que são adaptadas à época fria não aceitam os ventos fortes e frios. Caso, no local, não possua uma barreira natural contra o vento, faz-se necessário a introdução de quebra-ventos, que podem ser produzidos por meio do plantio de várias plantas arbustivas;
– Local cercado: os animais domésticos, principalmente cães e galinhas, adoram o local da horta, pois ali existe terra fresca e macia para cavar, enterrar ossos e ciscar. Portanto, a horta deve ser bem cercada para evitar a entrada desses animais.

Preparação dos canteiros

preparo dos canteiros para o cultivo das hortaliças objetiva colocar o local da horta em condições de ser cultivado. Ele consiste em:

1. Limpeza: capinar o mato, catar pedras, cacos de telhas, tijolos, vidros, restos de madeira. Enfim, tirar todo o entulho do terreno;
2. Drenagem: canais para escoamento da água;
3. Dimensionamento (comprimento, largura, altura): o dimensionamento deve ser feito de maneira a aproveitar melhor o terreno. Os canteiros situados à beira da cerca devem ter meio metro de largura e os do meio da horta, um metro de largura. Estas dimensões são importantes para que se possa ter acesso a todo o canteiro. O comprimento pode ser variável, de acordo com o terreno, tendo apenas cuidado com o seu nivelamento. Entre dois canteiros, deve-se deixar um corredor de 40 cm a 50 cm de largura para a circulação das pessoas que trabalham na horta;
4. Marcação dos canteiros: eles são marcados com estacas de bambu fincadas nos cantos do canteiro, esticando barbante entre as estacas;
5. Cercadura: a cercadura é necessária para segurar a terra e a manter mais alta do que o nível natural do terreno, pois com a feitura do canteiro o volume de terra aumenta. Além disso, a irrigação do canteiro pode causar erosão nas beiradas, diminuindo a área útil a ser plantada. A cercadura pode ser feita com a própria terra ou com tábuas, tijolos, madeira roliça ou outro material qualquer que a cumpra a função de segurar a terra;
6. Preparo da terra: os canteiros devem ser cavados até a profundidade de 15cm a 20cm, quebrados os torrões e catadas as pedras, raízes, cacos de telhas, entre outros. Em terrenos com muita grama, tiririca, trevo, entre outras ervas daninhas, deve-se repetir este trabalho uma semana depois, antes do plantio;
7. Adubação e Incorporação: como já visto, as hortaliças são plantas de crescimento rápido, cultivadas intensamente e produzem grande quantidade de alimentos por metro quadrado de canteiro, consequentemente retiram do solo muitos nutrientes, tais como nitrogênio (N), fósforo (P) e potássio (K). Devido a este fato é muito importante ter no solo o que as plantas necessitam, por isso, a adubação é fundamental. O fósforo é importante na formação das raízes, ajudando no pegamento das mudas. Influi também na formação das flores, dos frutos e das sementes, ajuda a formação de talos e ramos fortes e grossos. Já o potássio tem muita influência na qualidade das hortaliças; os frutos ficam mais carnudos, mais resistentes às doenças e mais firmes nos galhos. Quanto ao nitrogênio, este aumenta o tamanho e o brilho das folhas, favorecendo o crescimento geral das hortaliças.

A adubação pode ser feita de dois tipos básicos: orgânica e mineral. A adubação orgânica pode ser feita com esterco curtido. O recomendado é colocar de 15 a 20 litros de esterco de curral ou 5 litros de esterco de galinha por metro quadrado de canteiro. O esterco deve ser bem incorporado à terra. É conveniente que esta adubação seja feita de 25 a 30 dias antes do plantio, pois se o esterco não estiver bem curtido ele continuará o processo de fermentação, o que causa seu aquecimento, e poderá matar plantas que estiverem em contato com ele. A adubação orgânica é extremamente importante para o solo, pois além de fornecer nutrientes as plantas, ela também favorece a penetração da água e do ar na terra e facilita a vida dos animais e plantas que vivem no solo e o tornam vivo. Já a adubação química ou mineral pode ser feita, colocando-se 200 gramas de superfosfato simples e 40 gramas de cloreto de potássio por metro quadrado de canteiro. Da mesma forma, é importante a sua incorporação no solo. Uma alternativa é, em vez de colocar adubos simples, colocar 250 gramas de adubo químico da fórmula 4-14-8. Mais informações www.cpt.com.br.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui